Voltar

Por Alexandre Monteiro

Início da História.

Meu nome é Rodrigo Franzot, sou um dos fundadores da Risü, um Shopping online do bem, onde parte do valor de suas compras, em lojas como: Americanas, Submarino e Netshoes, se transforma em doação para uma Ong a sua escolha, sem que você pague nada a mais por isso.

No ano de 2015, a Risü, foi aprovada para participar de um programa de aceleração de empresas, que se chama Startup Chile. Situado em Santiago, o programa é o maior e mais reconhecido programa de aceleração de empresas da América Latina. Ele seleciona 100 startups de todo o mundo para passar por um processo que envolve mentorias, funding, espaço para trabalho e infraestrutura.

Após recebermos a excelente notícia de que fomos aprovados a participar, começamos todos os preparativos para a mudança. Afinal, passaríamos seis meses morando em Santiago no Chile, longe do escritório da empresa, que é situado em Belo Horizonte.

Desta forma, fizemos e refizemos o planejamento, para que a operação continuasse organizada em nossa ausência física. Comprei as passagens, regularizei devidamente o passaporte e o visto de trabalho, fiz as malas, providenciamos local de moradia, despedi dos amigos e… me esqueci de providenciar a compra de Pesos chilenos. É aqui que a história começa.

Diferentemente do dólar, uma moeda fácil de encontrar em casas de câmbio, os pesos chilenos não são. O dólar é uma das principais moedas do mundo, portanto, toda casa de câmbio possui uma quantidade suficiente da moeda para te fornecer, diferentemente dos Pesos chilenos, que muitas vezes é escasso.

Além disso, sabemos facilmente qual é a cotação do dólar, tendo em vista que exaustivamente é citada na mídia em geral. Com os Pesos chilenos não é bem assim.

Dica salvadora: pesquise as cotações e disponibilidade da moeda que precisa com antecedência, eu não fiz isso.

Nunca deixe para comprar moeda estrangeira em cima da hora. Quando se compra algo de urgência, você corre o risco de pagar mais caro ou de não ter disponibilidade.

Nesse caso específico do Startup Chile, estava em uma fase em que precisava resolver diversos problemas que surgiram devido a minha iminente ida e acabei protelando a aquisição de Pesos chilenos, deixando para adquiri-los na véspera da viagem, pela tarde.

Sim, eu tinha uma tarde inteira para adquirir a moeda. É tempo suficiente, não é? Foi o que pensei.

Contudo, eu não tinha conhecimento onde ficavam as casas de câmbio de Belo Horizonte (conhecia apenas 2). Também não havia planejado ou pesquisado de maneira suficiente os valores da moeda e, para finalizar, não havia comparecido ou ligado para qualquer casa de câmbio.

Ou seja, a essa hora, provavelmente, eu já corria sérios riscos de pagar mais caro pela moeda, ou de, até mesmo, não ter moeda suficiente para viajar devido à possível indisponibilidade de Pesos chilenos.

Visita às duas primeiras casas de câmbio.

Na primeira casa de câmbio que compareci, com indicação de um amigo que tinha acabado de viajar, imediatamente percebi que os Pesos chilenos ali estavam com o valor bem mais alto do que eu havia pesquisado. Contudo, como não possuía muito tempo, e não poderia me dar ao luxo de protelar, decidi comprar ali mesmo, pagando mais caro.

Então, além do preço mais alto, a surpresa: não havia moeda suficiente para o montante que eu necessitava. Era necessário ligar e agendar com antecedência nesses casos, para que pudessem fazer a reserva dos valores necessários.

Então, para garantir que já teria alguns pesos em mãos, comprei o valor que havia disponível naquela casa mesmo (um valor baixo e extremamente insuficiente) e segui, já com bastante pressa, para uma nova casa de câmbio. A essa hora, o tempo já era cada vez mais escasso.

Chegando à segunda casa de câmbio, mais uma surpresa: o preço dos Pesos estavam ainda mais altos do que na primeira casa de câmbio. A essa altura eu já fiquei um pouco desanimado em concretizar a compra, pois teria um prejuízo em torno de R$195,00.

Dica salvadora 2: “Você não conhece o Melhor Câmbio?”.

Quando contei para minha noiva do problema que estava passando e do desanimo do prejuízo de comprar a moeda mais cara, ela me perguntou: “Você não conhece o Melhor Câmbio”?

-“Não. Melhor Câmbio? O que é isso?”.

Então, ela me explicou que era um site que fazia comparação de preços de moedas estrangeira e ainda permitia fazer uma oferta para as casas de câmbio da cidade.

Bingo! Na mesma hora acessei do celular e checar se eles resolviam os problemas que já estavam me deixando em um nível de stress que já incomodava.

Em menos de 1 minuto, e com pouquíssimos cliques, eu comparei o preço do Peso Chileno em diversas casas de câmbio de Belo Horizonte. E o mais interessante é que, na mesma hora, fiz uma oferta por um preço ainda menor do que a menor taxa exibida no site. Como em uma negociação, a própria ferramenta já orienta se você tem chance de conseguir comprar por aquele valor que você ofertou, ou se suas chances são escassas.

Ou seja, não tem chance de você ser surpreendido (como fui) por um preço mais caro, ou até de comparecer em locais que não tenha disponível a quantidade de moeda que precisa.

Na mesma hora resolvi meu problema.

Como assim? Fiquei o dia inteiro tentando resolver o problema e não consegui, mas agora com menos de 1 minuto e com a ajuda da Melhor Câmbio cheguei à uma conclusão? Sim! E não é exagero. Em menos de 1 minuto fiz a comparação, dei o lance, fechei a quantidade e o valor que iria pagar pelos Pesos.

Como eu consegui fazer um bom lance, a Melhor Câmbio me fez economizar bastante dinheiro. Isso porque, além de não pagar os R$195,00 a mais do que o preço que havia pesquisado, ainda paguei R$135,00 mais barato!

Ou seja, no final das contas, em menos de 1 minuto, economizei nada mais, nada menos, que R$330,00 (trezentos e trinta reais). Valeu, melhor câmbio!