Voltar

Por Alexandre Monteiro

Uma das perguntas que todo mundo deve se fazer ao sonhar com um destino de viagem é “Quanto será que custa viajar para esse lugar?”. Apesar de alguns itens serem mais previsíveis e padronizados, como a passagem aérea, tem muito mais tipos de despesa na hora de tirar férias e isso depende muito do estilo de vida e dos hábitos de cada um. Uma viagem com direito a compras no outlet, visita a todos os museus e hotéis mais confortáveis, por exemplo, com certeza sai mais cara que aquelas férias sem muitas compras, refeições mais simples e diárias em hostels. São muitas variáveis e só você pode definir o que é imprescindível no seu passeio. Por isso, o Melhor Câmbio vai ajudar você a saber como planejar os gastos de uma viagem da melhor forma possível. Confira!


Passo 1: Defina quanto você está disposto a gastar

Parece uma dica muito óbvia, a gente sabe. Mas é tão óbvia que muita gente acaba esquecendo de colocar em prática. Sem ter uma verba fechada, muitos viajantes podem exagerar aqui e ali e, quando se dão por conta, já gastaram muito mais do que gostariam. Por isso nunca é demais reforçar: defina seu limite e não saia dele!


Passo 2: Divida os gastos entre pré, durante e pós-viagem

Esse passo é muito importante para organizar suas finanças e enxergar quais são os pagamentos que você deve priorizar. Além disso, você também pode definir o que vai ser pago em parcelas, à vista, no cartão de crédito, etc. Isso faz com que você possa ir diluindo os gastos e não ficar apertado num certo período porque precisou pagar tudo ao mesmo tempo.

Divida as despesas entre 6 categorias principais: passagens, hospedagem, alimentação, transporte, atrações/passeios e compras. A partir daí, comece a pesquisar tudo sobre como é o custo de cada uma dessas categorias para o seu destino. Dê uma olhada rápida em sites de passagens, reservas de hotéis, blogs, tudo o que puder ajudar você a estimar um valor para cada coisa. Lembrando que aqui você não define um valor exato, mas começa a ter uma ideia aproximada de quanto precisa.

Depois disso, é hora de fazer o balanço entre o valor que você quer gastar e o valor necessário para a viagem. E é aqui que você faz a adequação e avalia se precisa escolher um hotel mais barato, se faz menos compras, etc. Também é nesse momento que você define o que pode ser pago antes, durante e depois da viagem para não apertar suas finanças.

Por exemplo: você pode escolher pagar a passagem aérea em parcelas e quitar tudo antes da viagem. Aí alimentação, compras e alguns passeios vão sendo pagos ao longo da viagem. Por último, a hospedagem pode ser paga no cartão de crédito para você começar a pagar as parcelas depois da viagem.


Passo 3: Anote absolutamente tudo!

Principalmente quando o cartão de crédito é usado com frequência, a tendência é deixar para organizar os gastos depois. Isso é perigoso e pode fazer com que você gaste muito além do estipulado. Para evitar isso, é importante anotar tudo o que gastar para a viagem. Precisa comprar casacos para um país gelado, por exemplo? Inclua nos gastos da viagem. Higiene pessoal, documentos, visto, vacinas, tomada, pilha… Absolutamente tudo o que precisar comprar para as férias também entra nos gastos da viagem.

Para ter tudo registrado de forma organizada, nossa dica é que você crie uma planilha para ir acrescentando os gastos ao longo do planejamento. Se preferir, também existem aplicativos que ajudam a fazer isso. O importante é ter um espaço em que você consiga se organizar e ter o hábito de sempre registrar quando fizer algum gasto referente à sua viagem.

como planejar os gastos de uma viagem

Passo 4: Passagem Aérea

Esse é um dos principais custos da viagem, se não o primeiro com que você deve se preocupar. Também é uma das coisas mais instáveis: dependendo de quando e para quando você pesquisar, os valores podem oscilar, e muito. Por isso, faça várias pesquisas em datas e horários diferentes, com meses de antecedência. Assim, você vai tendo uma ideia da média de preços antes de comprar e evita uma compra equivocada no impulso. Procure ter flexibilidade nas datas para viajar. A diferença de um ou dois dias já pode trazer um desconto ótimo. Além disso, considere aeroportos alternativos (por exemplo: Campinas em vez de Guarulhos ou Congonhas). Às vezes os voos partindo ou chegando nesses aeroportos saem bem mais baratos. O importante é pesquisar bastante e considerar todas as opções – e ficar de olho em todas as promoções para garantir a passagem com um bom valor.

Confira o artigo que fizemos para ajudar você a economizar na compra das passagens aéreas.


Passo 5: Hospedagem

As dicas para planejar a compra de passagens aéreas vale também para a hospedagem. Assim como os voos, as reservas de hotéis, hostels ou quaisquer acomodações também sofrem alteração constante no valor da diária de acordo com a demanda. Por isso, também vale fazer várias pesquisas com antecedência para ir tendo uma ideia do valor médio e não acabar gastando mais do que precisava. Preste atenção se o destino para onde você vai não é muito disputado no período da sua viagem: quanto mais movimento, maior a demanda de hospedagem. Isso faz com que as melhores ofertas se esgotem rapidamente e você pode ficar sem muitas opções se demorar muito para fazer sua reserva.

Quando encontrar um lugar legal e que tem a ver com o que você quer, tente ligar para lá e perguntar o valor da diária. Dependendo do hotel, reservar diretamente com eles pode sair ainda mais barato.

Além disso, também leve em conta a localização. A região central da cidade geralmente é mais cara, mas considere bem se vale a pena ficar em um bairro mais distante e ter que gastar mais com transporte, por exemplo. Além do dinheiro, isso pode fazer você gastar mais tempo só com deslocamento e isso significa menos tempo para aproveitar a cidade. Por isso, antes de fazer sua reserva, avalie se o local fica perto de pontos de ônibus, estações de metrô, quanto tempo leva para chegar nos passeios que quiser fazer e outras questões básicas de transporte.


Passo 6: Transporte

A primeira coisa a se definir são os meios de transporte mais usados no destino onde você vai passar as férias. Em Los Angeles, por exemplo, vale mais a pena alugar um carro porque a cidade é pensada para isso. Já em Nova York, você pode atravessar a cidade de metrô. E em Amsterdam, dá pra fazer tudo de bicicleta. Se a sua pedida for alugar um carro, faça vários orçamentos e considere todos os gastos que manter um carro implica: combustível, pedágio, seguro, estacionamento… Fique atento a tudo isso para não ter uma surpresa desagradável no orçamento depois. Se você preferir usar o transporte público, pesquise tarifas especiais (algumas cidades oferecem valores menores em determinados horários), cartões semanais ou mensais para ônibus e metrô e onde você pode adquirir. Existem passes de trem que você já pode comprar pela internet e receber em casa antes mesmo de viajar. Faça as pesquisas com antecedência para garantir o melhor meio de transporte para a sua viagem.


A última dica, mas não menos importante, para planejar sua viagem é acompanhar a cotação da moeda estrangeira. Assim, você pode ir comprando dinheiro aos poucos e aproveitando nos dias que o valor baixar, por exemplo. Acesse o Melhor Câmbio para acompanhar e negociar online com as casas de câmbio!


Referências:

Viaje na Viagem | Dinheirama | Embarque na Viagem

Imagens:

Visualhunt | Pixabay