Transferências entre bancos: 4 dicas poderosas para acertar

transferencia-entre-bancos

Nos dias atuais, temos diversas opções para efetivar transferências entre bancos. Há como fazer esse processo de forma presencial, pelas agências, ou pela internet, pelos serviços de internet banking.

Exatamente por conta da pluralidade de opções, fazer uma transferência bancária acaba gerando diversas dúvidas em quem precisa efetivá-las. Afinal de contas, qual o melhor método? Quais são as taxas? Quais métodos são mais demorados e devem ser evitados?

Quem nunca precisou fazer transferências entre bancos, não é mesmo? E, no presente texto, vamos te dar 4 dicas para que você não erre mais ao realizar uma transferência bancária. Quer saber mais? Siga conosco e tenha uma boa leitura!

Como realizar transferências entre bancos diferentes?

Afinal de contas, como realizar transferências entre bancos? Como mencionamos, hoje em dia há uma pluralidade de meios disponíveis para tal.

É possível fazer uma transferência bancária por meio da internet, de aplicativos, presencialmente ou por meio do caixa de atendimento em instituições financeiras.

Transferências pela internet

Por causa das inovações tecnológicas recentes, cada vez mais as pessoas têm usado as facilidades que os aplicativos e o internet banking nos oferecem. Por isso, é bastante utilizada a opção online de transferência bancária.

Entre as vantagens desse modo de transferência, podemos citar a comodidade, pois não é necessário se deslocar a uma agência para realizar o pagamento. A praticidade também entra na jogada, sendo um diferencial para a opção por esse método. Por último, mas não menos importante, temos a rapidez na hora de efetivar a transferência de valores.

Outro método, que também utiliza a internet, é por meio de um QR Code. Desse modo, os dados da pessoa que vai receber o valor são até mesmo desnecessários.

Transferências presenciais

Da mesma forma, as formas de transferência tradicionais ainda são uma possibilidade. Normalmente, essas formas de transferências entre bancos acontecem por meio de instituições, com valores limite diários ou por transação.

Há, definitivamente, mais etapas burocráticas na hora de se efetivar esse tipo de transferência bancária. Pode ser necessário, a depender da instituição, por exemplo, realizar um prévio cadastro.

Geralmente, por conta da burocracia, as formas de transação presenciais são preteridas pelos usuários. Porém, costumam apresentar mais segurança a quem transfere.

A seguir, vamos falar sobre as formas mais comuns de transferência bancária. Continue a leitura e saiba tudo sobre elas.

O que é o TED?

Antes de mais nada, vamos falar sobre um dos métodos de transferência mais famosos: o TED.

A primeira forma de transferência que vamos falar é o TED, ou Transferência Eletrônica Digital. O TED permite que transações de valores altos sejam realizadas sem problemas. Essa forma é bem abrangente, disponível em instituições bancárias, internet banking, caixas de atendimento, entre outros.

É preciso, no entanto, ter uma conta do banco em questão para fazer um TED. Para efetivar o TED, são necessários alguns dados, os quais são:

·         número da agência do beneficiário;

·         número do CPF ou CNPJ do beneficiário;

·         número do CPF ou CNPJ do remetente;

·         número da conta destino.

Quanto tempo leva para o TED ser efetivado?

A Transferência Eletrônica Digital, em geral, é uma forma rápida de transferência entre bancos. Esse modo de transação faz com que o dinheiro seja, no mesmo dia, disponibilizado ao beneficiário.

Ao ser feita antes das 17 horas, o TED leva por volta de meia hora para ser efetivado. Após às 17 horas, no entanto, o dinheiro leva um pouco mais de tempo para cair: apenas cai na conta do beneficiário no dia útil seguinte.

Quais são as taxas e particularidades do TED?

É importante notar as taxas de uso do TED. As instituições financeiras cobram valores variados na hora de taxar tais transações.

Ao fazer uma transferência desse modo por terminais de autoatendimento caixas de atendimento, geralmente as taxas variam de R$ 10,00 até R$ 18,40. Quando são para o mesmo banco, essas transferências costumam não cobrar taxa.

Quando são feitas por meio do internet banking, as taxas não costumam ser tão altas. Porém, vale a pena conferir com a sua instituição financeira. Vale ressaltar que o limite diário do TED é de até R$ 50.000,00.

O que é o DOC?

Juntamente com o TED, o DOC também é um dos métodos de transferência mais famosos e utilizados. Vamos falar um pouco mais sobre ele neste tópico.

O Documento de Ordem de Crédito, o famoso DOC, é usado para realizar a transferência bancária, seja entre bancos da mesma instituição ou diferentes.

Quanto tempo leva para o DOC ser efetivado?

Quando se fala no DOC, a transferência bancária não é imediata como no TED. Após um dia útil da transferência, o valor cai na conta do beneficiário. Já no TED, a depender do horário, o valor cai dentro do período de meia hora.

Isso faz com que o DOC seja uma opção boa para fazer a transferência de valores que são tem urgência de efetivação.

Quais são as taxas e particularidades do DOC?

Como falamos no TED, esse tipo de transferência não costuma cobrar taxa para a mesma instituição. Para o internet banking, as taxas são mais baixas. Presencialmente, aumentam.

Vale a pena conferir com o seu banco o valor cobrado por esse tipo de transação, além do limite de transações permitido por mês.

É bom ressaltar que o DOC permite a transferência de quantias menores do que o TED. Via DOC, pode ser transferido até R$ 4.999,99.

O que é o PIX?

Agora que você já sabe o que é TED e DOC, vamos apresentar a mais nova e moderna forma de fazer transferências entre bancos: o PIX. Você, muito provavelmente, já ouviu falar ou até mesmo utilizou o PIX.

O PIX, idealizado pelo Banco Central do Brasil, chegou como uma solução digital para realizar transações e pagamentos de forma imediata. Como mencionamos, sua administração é do BC, o que faz com que a sua utilização seja livre para todas as instituições do mercado, visto que não é um serviço privado.

Para fazer uso do PIX, é preciso fazer apenas o cadastro de um código, que é chamado de “chave PIX”. Essa chave serve como identificação da conta do indivíduo, e permite a transferência bancária. Diversos aplicativos permitem a transferência via PIX. Sejam bancos, aplicativos de cartão de crédito, carteiras digitais, entre outros.

O PIX é bem prático de ser efetivado. Realizar transferências entre bancos por meio dessa funcionalidade é fácil e prático. Veja, abaixo, o passo a passo.

·         inserir a chave PIX do beneficiário;

·         inserir valor da transferência;

·         confirmar as informações;

·         inserir a senha (da conta ou do aplicativo);

·         concluir a operação.

Quanto tempo leva para o PIX ser efetivado?

Uma das maiores vantagens do PIX é essa: sua efetivação não requer tempo de espera. Ou seja: assim que você realiza a transferência por meio do PIX, a pessoa recebe.

Você acabou de ler esse parágrafo e, com certeza, diversas transferências via PIX já foram feitas pelo Brasil. Essa ausência de tempo de espera é extremamente vantajosa, especialmente para quem precisa transferir durante dias não-úteis.

Exatamente por isso, o PIX tem sido cada vez mais utilizado no Brasil, em vez do TED ou DOC. Sem dúvidas, é uma opção mais rápida do que o TED — e bem mais rápida do que o DOC. Em tempos que se preza cada vez mais pela rapidez dos processos, o PIX é preferido.

Quais são as taxas e particularidades do PIX?

A melhor parte do PIX, além de sua instantaneidade, é que ele é de graça. Não há absolutamente nenhuma taxa de uso ao se fazer transferências bancárias por meio da ferramenta.

Além disso, não há limite para o valor a ser transferido pelo PIX. Por conta da segurança, as instituições financeiras instituem limites de forma discricionárias, para evitar erros e fraudes no processo.

O PIX, por sua praticidade e caráter instantâneo, tem sido utilizado em diversas formas de pagamento presenciais. Apenas de posse da chave PIX do lojista, o comprador pode realizar a transferência na hora, por meio do aplicativo de seu banco.

No próximo tópico, vamos dar 4 dicas poderosas para que você acerte na hora de realizar uma transferência bancária entre instituições diferentes. Siga conosco e confira!

Quais as dicas para fazer transferências entre bancos diferentes?

Agora que você já está por dentro do assunto transferências entre bancos, vamos dar 4 dicas para que você não erre na hora de realizar as suas transferências bancárias. Seja qual for a modalidade escolhida. Observe a seguir!

1. Garanta a segurança de sua conexão

A partir do momento em que você vai realizar uma transferência bancária pela internet, você deve se certificar de que tudo está em ordem em seu navegador. Apenas insira a sua senha nos sites de sua instituição financeira, cheque se a sua conexão é segura (por meio do protocolo https) e fique de olho em pop-ups indesejadas!

2. Confira as vantagens de cada modalidade

Antes de efetivar quaisquer transferências entre bancos, vale a pena ver qual das formas mais vale a pena para você. Agendar uma transferência entre bancos da mesma instituição pode ser uma boa oportunidade de usar o DOC, por exemplo.

3. Cheque as taxas de uso

Para não ser pego de surpresa em seu extrato bancário, tire as dúvidas com o seu gerente sobre as taxas de uso de transferência bancária em sua conta bancária. Alguns bancos e tipos de conta apenas permitem determinados números de transferências por mês. Atente-se a isso.

4. Confira os dados

Por último, mas tão importante quanto qualquer um dos passos: confira duas vezes os dados de transferência antes de fazê-la. Isso vai fazer com que você evite problemas eventuais. A burocracia para cancelar um TED ou um PIX pode ser algo bem chato. E, para você não precisa entrar em contato com o seu banco e solicitar esse estorno, atente-se aos dados.

Ter dúvidas sobre o assunto transferência bancária é normal mesmo para quem as faz com regularidade. Saber de todas as funcionalidades das formas mais famosas de transferências entre bancos é essencial para fazer a melhor opção para as suas necessidades.Você gostou de saber um pouco mais sobre transferências entre bancos? Esperamos que esse conteúdo tenha sido útil para você. Para que você sempre saiba de tudo que sair em nosso blog, não deixe de seguir o Melhor Câmbio nas redes sociais. Estamos no Facebook e no Instagram. Siga-nos também no Twitter e YouTube.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on whatsapp

Posts Relacionados

Quando realizamos alguma transação financeira, é comum a cobrança de IOF. Trata-se de um imposto muito conhecido, mas nem sempre bem compreendido pelas pessoas. Como impostos nem sempre são...

Toda empresa deseja melhorar os seus resultados. Mas, afinal de contas, para se manter em um nível competitivo, crescer e gastar menos é necessário escolher a forma correta de...

Novidades são sempre bem-vindas, não é mesmo? A Skrill é uma plataforma relativamente nova no mercado financeiro do Brasil. E assim como toda carteira digital, há uma gama de...

Quando realizamos alguma transação financeira, é comum a cobrança de IOF. Trata-se de um imposto muito conhecido, mas nem sempre bem compreendido pelas pessoas. Como impostos nem sempre são...

Quando realizamos alguma transação financeira, é comum a cobrança de IOF. Trata-se de um imposto muito conhecido, mas nem sempre bem compreendido pelas pessoas. Como impostos nem sempre são...

Toda empresa deseja melhorar os seus resultados. Mas, afinal de contas, para se manter em um nível competitivo, crescer e gastar menos é necessário escolher a forma correta de...

Novidades são sempre bem-vindas, não é mesmo? A Skrill é uma plataforma relativamente nova no mercado financeiro do Brasil. E assim como toda carteira digital, há uma gama de...